domingo, 26 de junho de 2011

Olhos.


Sou de uma espécie

quase extinta

que a sina

é morrer pelas extremidades.

O veneno entra

pelos poros

da pele

pelo toque

e apenas os olhos

podem delatar o ataque,

dilatados e transbordando,

contraditoriamente

clamando o abraço.

Olhos inchados e avermelhados

que o pintor desavisado

pintou pensando ser

o céu estriado

do pôr do sol.


Um comentário:

Angélica Lada disse...

Meu desejo sempre foi fazer letras, porém acabei escolhendo uma área totalmente diferente, mas espero que eu não vá me arrepender. Curti muito seu trabalho e estou seguindo o blog, se puder da uma passadinha no http://posdezesseis.blogspot.com/.
A equipe do P16 agradece!